Déficit de Atenção. Distúrbio ou Distração?

Os pacientes com déficit de atenção normalmente são considerados distraídos, o que evidencia a principal característica do distúrbio: a falta de foco e distração.

Muitas pessoas ainda resistem em aceitar que o Transtorno do Déficit de Atenção é de fato um transtorno e não apenas distração.

É necessário tratamento, portanto a negação atrasa o diagnóstico e atrapalha o tratamento.

Ele pode se manisfestar de duas formas: com ou sem hiperatividade.

No primeiro caso, chamamos de Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA), e no segundo, Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).

Apesar da característica central do DDA ser a falta de concentração e distração, os sintomas tendem a ser mais complexos e amplos.

Os sintomas do Distúrbio do Déficit de Atenção podem ser evidenciados a partir de alguns comportamentos, como:

  • Dificuldade em ouvir os outros;
  • Incapacidade de terminar tarefas e concluir projetos;
  • Dificuldade para o estabelecimento de objetivos definidos e de planos para o futuro;
  • Dificuldade em expressar sentimentos;
  • Sentimento de tédio e apatia;
  • Falta de motivação;
  • Dificuldade de ficar parado ou de ficar sentado por longos períodos;
  • Fala excessiva ou pouca;
  • Dificuldade em esperar a sua vez;
  • Intromissão.

O déficit de atenção é tratado com o uso de medicamentos, porém a terapia é usada como forte aliada ao tratamento, visto que tem o objetivo de ajudar o paciente a estabelecer uma relação saudável consigo e com os outros e também a construir comportamentos funcionais, que irão se relacionar com emoções saudáveis.

Somente um profissional da saúde mental poderá diagnosticar a existência desse distúrbio.

Para saber mais ou para uma avaliação de caso, entre em contato com um profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × três =