Crianças que mordem! Até quando isso é normal?

Quem convive com os pequeninos sabe que morder é um comportamento comum entre eles, especialmente entre um e três anos de idade.

 

Além das mordidas, algumas crianças também respondem com chutes, tapas, pontapés, dentre outros. 

 

Esse comportamento acabam sendo uma alternativa quando eles não conseguem comunicar-se perfeitamente e acabam sendo impulsivos. 

 

O primeiro passo para isso é entender o que causa esse comportamento nas crianças que mordem. 

 

Em geral, elas o fazem para expressar um sentimento, comunicar a falta de espaço ou satisfazer a necessidade de estimulação oral. 

 

Mas o fato de as mordidas fazerem parte de uma fase do desenvolvimento, não significa que devam ser ignorados ou aceitos pelos pais. 

 

Quando a criança morde outra pessoa, é importante a mediação de um adulto, para fazer com que ela reflita sobre o que fez e para que entenda que há outras maneiras de conseguir o que deseja. 

 

É importante evitar reações extremas, como rotulá-las ou puni-las de forma agressiva. Isso pode intensificar o comportamento, levando-as a assumir a identidade que lhes é atribuída. 

 

Apesar de, na maioria das vezes, a mordida fazer parte do desenvolvimento natural da criança, em alguns casos este comportamento pode sinalizar um problema de ordem emocional. 

 

Se as mordidas e tapas passam a ser frequentes, a criança pode estar insatisfeita, ansiosa ou com sentimento de rejeição. 

 

Quando isso acontece, a família e a escola precisam acompanhar de perto e com atenção para descobrir as possíveis causas. 

 

Dependendo do caso, é importante buscar a ajuda de uma psicóloga. 

 

Para mais informações sobre o tema, ou para agendar uma avaliação, entre em contato conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quinze + oito =