Coronavírus Para as Crianças

Dicas de Como Falar com as Crianças Sobre o Coronavírus

Provavelmente você já sabe o que é o Coronavírus e também já se atentou sobre os cuidados em relação a prevenção. Certo?

Agora, você imagina qual a importância de informar uma criança sem assusta-la?

A seguir, daremos algumas dicas para deixar a criança informada e protegida sem causar danos emocionais a ela.

Informe-se Sobre o Assunto Coronavírus e Controle os Próprios Medos e Inseguranças

Não adianta dar qualquer explicação para as crianças, pois além de ser uma conduta errada em respeito ao direito da criança, ela facilmente poderá receber informações por outras fontes e isso fará com que perca a confiança em você.

O ideal é manter a calma, a serenidade e agir com sinceridade. Não sabemos o que está por vir, mas não precisamos ter medo de dizer… “Olha eu não sei, mas vou tentar saber para poder tirar a sua dúvida”.

Sabemos que normalmente as crianças fantasiam a respeito de qualquer assunto e se não houver clareza nas explicações, poderemos gerar medo, isolamento, insegurança, entre outros transtornos.

Neste caso, é necessário ter as informações concretas para responder as dúvidas das crianças e poder desmentir sobre os boatos que podem ser determinantes para aumentar o medo e consequentemente evitar que a ansiedade natural seja elevada.

Lembramos que é muito importante falar de um jeito que a criança entenda, buscando palavras simples e sempre exemplificando o assunto.

Busque Saber o Que a Criança já Sabe a Respeito do Coronavírus

Há a possibilidade de a criança ouvir algumas variáveis sobre o assunto como por exemplo:

“O vírus está matando muita gente, principalmente em outras partes do mundo. “

“A doença é uma gripe.”

Essas informações, dependendo de como forem recebidas, podem gerar ansiedade e medos na criança. Porem, podem ser importantes para definir o rumo da conversa que tem como objetivo acalma-la.

O ideal é perguntar para a criança sobre a fantasia que tem sobre o Coronavírus e valorizar os seus sentimentos, perguntando ao pequeno o que ele acredita que pode acontecer e buscar tranquilizá-las acerca da realidade.

É aí que devemos informar sobre as medidas de prevenção, o progresso das buscas para a cura da doença e que muito esforço está sendo feito para que as coisas voltem ao normal.

O Importante é Informar Sobre a Realidade Sem Alarde

Pode-se abordar o assunto de forma clara e simples, ou seja, você pode dizer para a criança que o Coronavírus é uma gripe, mas que nem toda gripe é o Coronavírus.

Explique que grande parte das pessoas que contraem a doença, não precisam ir ao hospital pois conseguem se curar em algumas semanas.

É necessário que haja sensibilidade em relação a criança. Exalte o lado positivo buscando mostrar a ela que há uma solução e que estão sendo feito esforços para o exito.

Mostre Respeito aos Medos da Criança

É necessário ouvir a criança, dizer que está tudo bem, que não há problema em ter medo, pois é absolutamente normal.

É fundamental explicar que ela está segura e se tiver alguma dúvida, sempre procurar alguém da família e não acreditar em histórias que chegam via redes sociais ou mensagens, pois podem ser notícias falsas.

Mostre atenção e respeito as dúvidas e medos da criança, jamais desdenhe dizendo que é bobeira ou que é desnecessária a reação por ela apresentada.

Na mesma linha, observe mudanças de atitude no comportamento da criança, pois isso pode representar que haja algum reflexo em relação ao que está acontecendo e ela não está sabendo se expressar da forma correta.

Conte Histórias de Superação em relação ao Coronavírus

Já existem muitos casos de cura, dentre eles muitos idosos e pessoas que possuem algum outro tipo de doença. Exemplifique e mostre o lado positivo também pois trará a segurança de que há saída.

Valorize a Higiene Como Forma Preventiva do Coronavírus

Mostrar e não praticar os cuidados básicos para prevenção da doença é um erro muito cometido. A criança tende a imitar as pessoas e se os maiores não forem bons exemplos, ela dificilmente fará o que se deve sozinha.

Temos que levar em conta, acima de tudo, que os cuidados básicos já eram ações que consideradas primordiais para uma boa higiene, tanto é que em locais de grande circulação, geralmente encontramos dispositivos com álcool gel.

Portanto o que deve ser feito é redobrar esse cuidado, orientar nossas crianças, e praticar as ações recomendadas para prevenção como por exemplo, lavar muito bem as mãos.

Os pais podem sugerir a criança, que ela cante uma pequena cantiga enquanto lava as mãos, e assim apresentar a higiene básica de uma forma divertida.

É preciso lembrar de também evitar esfregar os olhos, colocar a mão no rosto, nariz ou boca. Aproveite a ocasião para reeducar acerca do risco em relação as crianças ansiosas que têm o vício de roer as unhas.

Evite Qualquer Preconceito

Assim como qualquer outro tipo de Bullying, é muito importante lembrar que não se deve rotular ninguém por causa da doença, principalmente pessoas de origem asiática que tem sido as maiores vítimas do preconceito.

Procure um Especialista

Caso tenha notado alguma alteração de atitude na criança como tristeza profunda, isolamento, choro demasiado, irritabilidade, ou qualquer outra reação que não seja de acordo com considerado normal para o temperamento dela, busque orientação profissional.

A intervenção e o acolhimento de um psicoterapeuta, auxiliará no bom andamento da saúde mental, tanto da criança quanto dos pais que muitas vezes também precisam ser orientados.

Se você gostou desse artigo, e tem mais alguma dúvida sobre o tema. Entre em contato para maiores informações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20 − 11 =