Estresse Parental é mais comum do que parece

A educação dos filhos é sem dúvida um dos maiores desafios que os pais podem enfrentar.

O estresse parental é um desconforto ou sofrimento que resulta das demandas características da parentalidade.

Essa experiência é presente na vida de todos os pais, independentemente das suas características pessoais, das habilidades da criança, de fatores sociais ou demográficos.

É claro que esses fatores modulam a intensidade da experiência, porém independentemente deles, haverá algum nível de estresse atribuído ao papel de ser pai ou mãe.

De fato, pais e mães com o quadro de estresse costumam se preocupar exaustivamente sobre como conseguirão dar conta de tudo o que é necessário.

Em famílias em que pai e mãe trabalham, mas apenas a mulher assume a função parental, o cenário também desfavorece a saúde mental da mulher.

 

O Cliclo

De certa forma, o estresse parental instala um ciclo destrutivo.

Pais se sentem sobrecarregados, ineficazes e incapazes, ficando então mais sensíveis e reativos e acabam agindo de forma violenta, seja verbal ou fisicamente.

Depois que o conflito passa, estes pais ficam remoendo sobre o que fizeram e sentem culpa por suas atitudes.

Então são acometidos por um sentimento persistente de culpa e então se tornam mais sensíveis, mais reativos e mais irritados.

Ficam mais suscetíveis a futuras explosões. O ciclo se repete.

O estresse parental é muito mais comum do que se imagina.

Saber da existência desse problema pode nos ajudar a reconhecê-lo em nós mesmos, ou em uma parceira, parceiro ou amigo que precisa de ajuda.

Para apoio psicológico ou para mais informações sobre o Estresse Parental, entre em contato conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dez − três =